terça-feira, 25 de dezembro de 2007

O CONVITE

Essa reflexao foi escrita e postada pelo Pr. Ariovaldo Ramos em seu blog no dia 10/12/07, achei muito interessante por isso estou reproduzindo aqui:

Certa feita, estive em Belo Horizonte participando de um seminário sobre igreja e inclusão social, o que, por si só já é uma boa notícia. Bem, como era esperado, pouca gente foi, aliás, nem a igreja promotora foi, mas, tudo bem, a iniciativa vale por si só, foi um evento em parceria com a Visão Mundial. É interessante perceber como esse tema atrai tão pouca gente, talvez as pessoas achem que isso é uma atividade extra da igreja e que só os que têm chamado específico devem comparecer. A propósito, uma vez fui interrompido numa aula sobre isso, por um participante, que me perguntou se eu não estava dando trabalho demais para a igreja. Acho que é assim que boa parte da igreja pensa, a gente já tem de evangelizar, depois discipular, o que, por si só é trabalho para uma vida. E ainda tem de incluir socialmente?

O que é preciso perceber é que incluir é o papel da igreja por excelência. A pessoa que entrega a vida para o Senhor é incluída no reino de Jesus e na igreja, e isso significa que é incluída numa nova forma de ser gente e de viver como gente e de ser comunidade. A nova forma de ser gente é ser como Jesus, que é gente como gente deve ser, a nova forma viver como gente é viver com dignidade e a nova forma de ser comunidade é viver a comunhão que o amor propicia. E como vive gente que se parece com Jesus? E como é que vive a comunidade que se pauta pela comunhão que o amor propicia? Vive incluindo. Quando os membros da igreja primitiva vendiam o que tinham para ajudar aos necessitados, ou levantavam ofertas para ajudar igrejas que estavam passando por crises nacionais, como fizeram com a igreja em Jerusalém, estavam praticando a inclusão social. Entenderam que os irmãos tinham o mesmo direito à comida, saúde, transporte, trabalho, educação que os mais privilegiados tinham, e repartiram. A vida da igreja é incluir, nós pregamos para incluir, nós deveríamos viver para incluir, portanto, não deveria haver para nós outra forma de discutir e de agir na sociedade senão pela perspectiva da inclusão.

Jesus veio revitalizar o conceito de humanidade, portanto, veio chamar os homens à contramão do individualismo, e quem está na contramão do individualismo está na mão da inclusão social. Portanto, era de se esperar que a igreja se incomodasse com os excluídos, porque nós sabemos que a exclusão é a negação da salvação. A igreja deveria ser o maior movimento de inclusão social jamais visto, o maior movimento de repúdio ao individualismo e ao consumismo, o maior movimento de promoção comunitária e de promoção da dignidade humana. Espero que no próximo encontro tenha mais gente, você está convidado.

publicado em Graça de Deus

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

CONCLUÍDO 2o MÓDULO DA OFICINA DE VÍDEO

Concluído o 2o módulo da Oficina de Produção de Vídeo, ministrada pelo videomaker e produtor Ronaldo Rosa, e que está sendo realizada graças a parceria entre o Ponto de Cultura COMVIDA e o Instituto de Artes do Pará.

Neste módulo os participantes definiram o tema do vídeo que será produzido pela turma: Aquecimento Local. Um documentário que deverá registrar os aspectos ambientais do modelo de desenvolvimento que a região vive desde que o município foi constituído na década de 60.

Imagens, entrevistas, roteiro e plano de filmagens já começaram a ser trabalhados pela equipe, que neste módulo colocou a mão na massa e foi às ruas da cidade reunir material que será utilizado no documentário.

A COMVIDA pretende ao término da Oficina, que ao todo terá 5 módulos, constituir um Núcleo de Produção Audiovisual, estabelecendo parceria e intercâmbio com os movimentos socioculturais dos demais municípios da BR-222, dos quais Abel Figueiredo, Dom Eliseu e Rondon do Pará já estão participando da oficina.

O Núcleo de Produção Audiovisual será um espaço de democratização da produção e difusão de audiovisual, focado nas dinâmicas locais e regionais, contribuindo para o desenvolvimento sustentável da comunidade. A ausência de uma identidade local/regional é um dos aspectos que deverá ser trabalhado, procurando identificar e fortalecer as raízes de uma população migrante que saiu das diversas partes do Brasil para ocupar uma amazônia "fronteira de expansão" e que hoje convive com as mazelas desse processo desordenado de ocupação.
Veja esse pequeno vídeo da oficina:

video

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

COMVIDA PELA INFÂNCIA

O UNICEF estabeleceu o dia 09 de dezembro como o Dia Interncaciona da Criança no Rádio e na TV, com o objetivo de abrir um canal permanente de comunicação para os meninos, meninas e jovens. Para o UNICEF é fundamental que, durante todo o ano, as emissoras invistam na participação de crianças e adolescentes em sua programação.

A COMVIDA FM 104,9 MHz aderiu a proposta e tem veiculado spots, jingles e entrevistas em prol da infância e da adolescência em Rondon do Pará. O desafio de participar desse dia especial veio junto com a realização de um dos nossos sonhos: "Ter um programa pela infância, produzido com a participação de crianças e adolescentes veiculado semanalmente."
Fizemos a "Semana COMVIDA pela Infância" em parceria com o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Conselho Tutelar de Rondon do Pará, Secretaria Municipal de Promoção e Assistência Social, Pastoral da Criança, Ministério Ágape da Restauração e Igreja Batista Nacional Missionária.

Os apresentadores do Programa são Fernando Fernandes (14 anos) e Maressa Nascimento (10 anos).

A Programação da Semana COMVIDA Pela Infância foi:

09/12/07 Veiculação do programa COMVIDA Pela Infância "O Mundo que Queremos" (30 minutos)

10/12/07 Reapresentação do Programa COMVIDA Pela Infância "O Mundo que Queremos" as 10:00 da manhã e as 2:00 da tarde.

11, 12, 13, 14 e 15 de dezembro Veiculação de spots, jingles e entrevistas com os seguintes temas*:
- A família e as relações afetivas e sociais com a criança
- A família, a comunidade e a criança
- A família e a proteção da criança
- A família e as políticas públicas

A Semana COMVIDA Pela Infância é o começo de uma caminhada. Dia 15/12/07 as 3:00h da tarde teremos uma reunião com a equipe para pensar e re-pensar o próximo programa. Nesta reunião ouviremos as crianças e adolescentes, a vez e a voz é deles.


" Eu acredito que as nuvens são feitas de algodão doce
E que com minha imaginação posso criar figuras nelas
Cavalos, flores, ovelhas, casas
Botos, árvores, barcos ... e navegar na imensidão do céu

Eu acredito que o arco-íris é um gigantesco pirulito
Doce e que nunca acaba
Prefiro os doces do que o pote de ouro
Chego até lá em um lindo balão com a ajuda de um beija-flor

Quando chove perto de mim
Chove no mundo inteiro
Chove em todos os lugares ao mesmo tempo
E em todos os lugares a hora é a mesma

Meu pai é um herói, o homem mais forte do mundo
Minha mãe a pessoa mais doce que já existiu
Que faz o bolo mais gostoso, a sopa perfeita
E me enrola no cobertor quando está frio

Não entendo porque formigas tão pequenas
Podem ser uma ameaça para mim
Elas me mordem e isso dói
Mas eu gosto tanto de brincar com elas

Algumas pessoas são do meu tamanho
Outras são tão grandes
E acredito que ficarei grande também
Minha mãe sempre fala: quando você crescer...

Acredito que continuo criança
Posso sujar minhas mãos numa lambança
Correr na rua com meus amigos
E sorrir... sorrir muito!"

Marcilene Almeida

* Rádio Pela Infância - Desenvolvimento Infantil - Cartilha do Radialista

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

SAGA DA AMAZÔNIA

Era uma vez na Amazônia a mais bonita floresta
mata verde, céu azul, a mais imensa floresta
no fundo d'água as Iaras, caboclo lendas e mágoas
e os rios puxando as águas

Papagaios, periquitos, cuidavam de suas cores
os peixes singrando os rios, curumins cheios de amores
sorria o jurupari, uirapuru, seu porvir
era fauna, flora, frutos e flores

Toda mata tem caipora para a mata vigiar
veio caipora de fora para a mata definhar
e trouxe dragão-de-ferro, prá comer muita madeira
e trouxe em estilo gigante, prá acabar com a capoeira

Fizeram logo o projeto sem ninguém testemunhar
pra o dragão cortar madeira e toda mata derrubar:
se a floresta meu amigo, tivesse pé pra andar
eu garanto, meu amigo, com o perigo não tinha ficado lá

O que se corta em segundos gasta tempo prá vingar
e o fruto que dá no cacho prá gente se alimentar?
depois tem o passarinho, tem o ninho, tem o ar
igarapé, rio abaixo, tem riacho e esse rio que é um mar

Mas o dragão continua a floresta devorar
e quem habita essa mata, pra onde vai se mudar?
corre índio, seringueiro, preguiça, tamanduá
tartaruga, pé ligeiro, corre-corre tribo dos Kamaiura

No lugar que havia mata, hoje há perseguição
grileiro mata posseiro só prá lhe roubar seu chão
castanheiro, seringueiro já viraram até peão
afora os que já morreram como ave-de-arribação
Zé de Mata tá de prova, naquele lugar tem cova
gente enterrada no chão

Pois mataram índio que matou grileiro que matou posseiro
disse um castanheiro para um seringueiro
que um estrangeiro roubou seu lugar

Foi então que um violeiro chegando na região
ficou tão penalizado que escreveu essa canção
e talvez desesperado com tanta devastação
pegou a primeira estrada, sem rumo, sem direção
om os olhos cheios de água, sumiu levando essa mágoa
dentro do seu coração

Aqui termina essa história para gente de valor
pra gente que tem memória, muita crença, muito amor
pra defender o que ainda resta, sem rodeio, sem aresta
era uma vez uma floresta na Linha do Equador...

Música de Vital Farias

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

2o MÓDULO DA OFICINA DE VÍDEO TERÁ INÍCIO DIA 17

Entre os dias 17 a 21 de dezembro acontecerá o 2o Módulo da Oficina de Produção de Vídeo, realizada pela ComVida em parceria com o IAP (Instituto de Artes de Pará). Este módulo deverá tratar de ajuste e finalização de roteiros, será escolhido o roteiro que será produzido pelo grupo e serão tratados os tópicos sobre fotografia (tipo de câmeras, ângulos, planos, movimentos e iluminação).

A ComVida está qualificando uma turma de 15 pessoas para produção de vídeo, com o objetivo de criar um Núcleo local de produção audiovisual em Rondon do Pará. A Oficina está sendo ministrada em 5 módulos, tendo se iniciado em novembro deste ano e com previsão para conclusão em março 2008, com a participação de pessoas dos municípios de Rondon do Pará, Abel Figueiredo e Dom Eliseu.

domingo, 9 de dezembro de 2007

CONTRA CORRENTE: A Revolução já começou!

Não se amolde nem se conforme aos padrões do mundo, mas transforme a sua mente e o seu entendimento, de modo que você possa experimentar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”. Esse foi o conselho do apóstolo Paulo aos jovens de sua época, registrado no capítulo 2 de sua carta aos romanos. “Vá contra a corrente, não tenha receio de nadar em direção contrária a que todos navegam”, são palavras que poderiam perfeitamente complementar esse conselho.
Roma era o império dominante da época e não é por acaso que o conselho seja direcionado justamente àqueles que viviam no epicentro do governo mundial. Se a carta fosse escrita aos jovens de hoje, e suas palavras ecoam para a atual e futuras gerações, Paulo estaria nos dizendo a não nos moldarmos aos valores éticos e morais dominantes em nossa sociedade cujos valores predominantes são arquitetados nos laboratórios das grandes corporações e companhias industriais.

Muito se tem falado sobre nosso tempo, mas se uma característica se sobrepõe a todas as demais, certamente podemos nos autodenominar como a geração one way. O mundo tem estimulado a juventude à máxima realização do prazer: carpe diem, diriam os modernos poetas patéticos. O prazer aliena o outro e torna tudo e todos objetos da satisfação pessoal, deixando um rastro de destruição que vai da alma ao meio ambiente. Os valores morais são neutros, não existe mais uma verdade, faça a sua, viva à sua maneira e seja feliz, anunciam os arautos da pós-modernidade que produzem marcas e estilos ao gosto de cada freguês.

Durante 3 dias jovens de diversos municípios reuniram-se em Belém, nas dependências do MAR – Ministério Ágape da Restauração para refletirem sobre essas questões e se organizarem para o bom combate. – “Contracorrente, a revolução já começou!”, bradaram ao som de músicas que falam do amor que restaura e resgata todas as coisas para o propósito de sua criação. O profeta Guillermo Losio, autor do livro “Conquistado para conquistar” proferiu as palestras do encontro, acompanhados dos apóstolos Rafael e Alathéa Ortiz.

Os jovens Mariel (19) e Rafael (18 anos) participaram do Encontro, representando a COMVIDA. Para Mariel (foto) o mundo é facilmente influenciável. “Quantos, ainda agora, ou antigamente, não compraram algo porque aquele amigo tinha, ou viram aquele tênis de R$ 250,00 na televisão e compraram mesmo sem poder? Novelas influenciam, e muitos outros. Quem não se lembra do fenômeno mundial RBD fazendo a cabeça e a moda das pessoas?” Indaga o jovem, confirmando seu pensamento. Mariel está determinado a influenciar o mundo e continua indagando “de que forma devemos, como cristãos, influenciar o mundo. Mas como faremos isso?”, ao que ele mesmo responde “simples, estabelecendo a Cultura do Reino no mundo e influenciando sua cultura corrente”.

Mariel e Rafael atuam como monitores de informática na COMVIDA a mais de um ano. Ao participar do encontro, Rafael (foto) disse que passou a entender o que a COMVIDA representa como o projeto de Deus para transformação da cultura de sua cidade, Rondon do Pará. Comprometido com essa transformação, ou seria melhor dizer, com essa revolução, Rafael se declara mais motivado e comprometido a partir de agora “quando se tem o entendimento do que é o trabalho de Deus para uma cidade ou qualquer outro lugar, você tem vontade de trabalhar junto, pra fazer com que esse projeto cresça mais ainda”, afirma.

A disposição de Rafael para se aperfeiçoar naquilo que se propõe a fazer é semelhante ao que declara Mariel ao se indagar o porquê Davi levou cinco pedras pra enfrentar Golias. “Muitos dizem que são os cinco ministérios, sei lá, mais ouvi essa semana uma definição interessante, que Davi servia e confiava em Deus (O Senhor, que me livrou das garras do leão, e das garras do urso, me livrará da mão deste filisteu. I Samuel 17,37), sabia que Ele era o seu Pai e estaria à sua frente em qualquer batalha, mas Davi levou cinco pedras, também, porque ele estava preparado para errar. Ele sabia que se errasse teria outra pedra para atirar no gigante".

Mas como assim? Não estamos falando em revolucionar? Em mudar a história do mundo? Que o nosso Senhor está a nossa frente?” Indaga Mariel, para responder prontamente, prosseguindo sua reflexão: “Sim estamos falando nisso tudo, mas devemos saber nos levantar após uma queda. Quantas vezes nós estamos em uma luta e caímos ai o diabo pisa e abusa de nós e ficamos lá só choramingando? O Senhor quer nos moldar fortes e inabaláveis. Ele quer ter a certeza de que se cairmos não permaneceremos prostrados. Isso quando não acontece dessa forma: (E vestiu a Davi da sua própria armadura, pôs-lhe sobre a cabeça um capacete de bronze, e o vestiu de uma couraça. Davi cingiu a espada sobre a armadura e procurou em vão andar, pois não estava acostumado àquilo. Então disse Davi a Saul: Não posso andar com isto, pois não estou acostumado. E Davi tirou aquilo de sobre si.) I Samuel 17,37-39”.

Mariel conclui sua reflexão afirmando que “nesse episódio vemos uma coisa que acontece muito, toda vez que um revolucionário se levanta pra lutar, contra os de fora, o mundo tenta reafirmar sua cultura e influência sobre ele. Veja que a armadura de Saul significa, para nós agora, a cultura do mundo sempre tentando ficar sobre nós, quando na verdade nós que devemos estabelecer nossa cultura sobre o mundo. Mas qual a nossa cultura? A cultura do Reino. Nossos princípios foram transformados pela Cruz do Calvário. Pelo Sangue de Jesus fomos justificados e santificados, (mas fostes lavados, mas fostes santificados, mas fostes justificados em nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus) I Coríntios 6:11, nossa cultura agora é santa e sem manchas. 'Ai! mas como pode ser? Se ontem mesmo eu errei?' Tenho uma coisa pra te falar: 'Eu também'. Temos que ter nossas mentes transformadas e inabaláveis, saber que erramos sim, mas que Ele é fiel e justo pra nos perdoar e nos limpar de toda injustiça quando reconhecemos e pedimos perdão. (Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça) I João 1:9".

É isso aí, remando, navegando, nadando, caminhando, cantando, voando, seja como for, estamos contra a corrente, transformando e renovando, bradando: A REVOLUÇÃO JÁ COMEÇOU, JUNTE-SE A NÓS!

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

AULA INAUGURAL DO CURSO DE FORMAÇÃO DE JOVENS AGENTES AMBIENTAIS

Um curso realizado pelo Ponto de Cultura ComVida e pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Rondon do Pará deverá capacitar jovens com noções básicas de gestão ambiental, qualificando-os em iniciação profissional para intervenção em ações, programas e projetos na área de desenvolvimento sustentável, meio ambiente, educação ambiental, Agenda 21 e gestão ambiental.

A aula inaugural do Curso de Formação de Jovens Agentes Ambientais aconteceu no último dia 30, com a presença do Prefeito Edílson Oliveira; do secretário municipal de meio ambiente Fidélis Paixão; da coordenadora cultural da COMVIDA pastora Wilma Paixão; do representante da Câmara de Vereadores, vereador Josimar Feitosa; da diretora da Escola Estadual de Ensino Médio, professora Sueli; do secretário municipal de Educação, Geanclay Rodrigues; do representante da ong Argonautas Ambientalistas da Amazônia, Marcelo Aponte, cuja sede fica em Belém, capital do Estado; além dos jovens selecionados, pais, amigos, gestores públicos locais e representantes dos movimentos sociais.
Foto: da esquerda para direita: prefeito Edilson, vereador Josimar, secretário municipal de meio ambiente Fidelis Paixão.

Foram selecionados 40 jovens entre 16 a 24 anos de idade que, além de fazerem o curso sem custos, ainda receberão uma bolsa-auxílio no valor de R$ 150,00/mês. Com uma carga-horária total de 600 horas, o curso será terá um Módulo Básico, com 4 disciplinas, um Módulo Profissionalizante, com 7 disciplinas, além de 5 disciplinas com conteúdo transversal. Mais de 90 jovens participaram do processo de seleção, que foi realizado com apoio da Escola Estadual de Ensino Médio Dionísio Bentes de Carvalho.

Ao término do curso espera-se que os jovens estejam aptos a atuarem no terceiro setor, na iniciativa privada e no poder público em quaisquer atividades que exijam conhecimento básico de gestão e educação ambiental. O curso faz parte da estratégia de qualificação de jovens para atuarem na promoção do desenvolvimento sustentável no Município de Rondon do Pará e na Região da BR-222 e será promovido através de uma parceria estabelecida entre diversas instituições, com apoio do MEC, MMA e CEFET, órgão federais que atuam com educação e meio ambiente.

A COMVIDA é uma organização não governamental de Rondon do Pará, que a partir de princípios cristãos, tem se destacado na formação e qualificação de jovens e contribuído com o desenvolvimento integral da comunidade, sendo detentora de uma Rádio Comunitária que atua no município e de projetos de educação ambiental, inclusão digital e defesa dos direitos das crianças e adolescentes.

Durante a aula inaugural do curso de formação de Jovens Agentes Ambientais, aconteceu ainda a apresentação do Grupo de Dança RESTAURARTE, fruto da missão de resgatar a arte e a cultura, a que se propõe a COMVIDA, formado por jovens e adolescentes.

Outro fato marcante, que chamou atenção de todos foi o depoimento da jovem Laodicélia Souza (20 anos), que relatou como participar do Programa Agentes Cultura Viva transformou a sua vida. "Saí praticamente de uma situação de desprezo para uma vida feliz, onde aprendi o quanto sou importante para Deus, para mim mesma e para minha comunidade. A COMVIDA ajudou a revolucionar minha vida, hoje me sinto útil e mais preparada", declarou a jovem (foto) que já viveu um tempo difícil quando coletava lixo para sobreviver, passou pela qualificação da COMVIDA e agora está no curso de Formação de Jovens Agentes Ambientais.